Soluções Chumbadores mecânicos: 4 diferenças entre Parabolt e Hardbolt
Autor: Eng. Gilberto da Silva Fernandes (GRUPO HARD)

O chumbador é um sistema de fixação capaz de ancorar algo a determinada superfície. Ele pode ser mecânico ou químico. Os chumbadores mecânicos são muito versáteis, por isso são muito utilizados em diversos tipos de obras. Eles proporcionam ancoragem e montagem segura e rápida, sendo capazes de suportar cargas elevadas.

Além disso, os chumbadores apresentam diversas aplicações, podendo ser utilizados em estruturas metálicas, fachadas, janelas, instalações elétricas, hidráulicas, de combate a incêndio, dutos em geral, máquinas, apoios estruturais, equipamentos, escadas, portões, elevadores e estruturas de concreto armado.

Neste artigo, trataremos dos chumbadores mecânicos expansivos, ou seja, comercialmente chamados de Parabolt, e os não expansivos, também conhecidos como Hardbolt. Ambos são utilizados em concreto, não se aplicando a outros locais ou materiais. Para entender melhor o funcionamento, processo executivo e as diferenças entre eles, continue a leitura.

Funcionamento do Parabolt

O Parabolt é um chumbador mecânico expansivo, composto por parafuso, arruela, jaqueta — que também pode ser chamado capa, cápsula ou camisa — e um cone, também conhecido como cunha. Esse chumbador apresenta expansão controlada pelo torque, que depende do quanto o parafuso é apertado pela porca durante sua instalação — o que o caracteriza como um processo mais complexo.

Para a aplicação, primeiramente é necessário conferir se o sistema está montado (parafuso, arruela, jaqueta e cone). Em seguida, é feito um furo no lugar desejado, respeitando o diâmetro e o comprimento do chumbador. Posteriormente, o Parabolt é colocado completo no furo realizado, com o auxílio de um martelo. É necessário bater com o martelo até o sistema estar completamente dentro do furo. Após isso, com o auxílio de uma chave de aperto, deve-ser apertar a porca. À medida que a porca é apertada, a cunha/cone sobe e expande a jaqueta, que aumenta seu diâmetro e proporciona a ancoragem no concreto.

Funcionamento do Hardbolt

O Hardbolt é um chumbador mecânico tipo parafuso não expansivo. Ele é uma peça única — apenas o parafuso tem um desenho de rosca que, durante a fixação, é capaz de atarraxar no concreto. Sua aplicação é fácil e rápida, proporcionando maior agilidade ao processo de montagem e fixação nas obras, além de ser capaz de atingir cargas elevadas.

Para a instalação do Hardbolt, primeiramente é realizado um furo no concreto com profundidade de 20 mm a mais que o comprimento do chumbador e, em seguida, é colocado o suporte que se deseja fixar. Posteriormente, o Hardbolt é aplicado com o auxílio de uma chave de aperto manual ou de impacto elétrica.

À medida que ele é aplicado, os fios de rosca laminam o concreto, garantindo a ancoragem. O procedimento está completo quando o parafuso estiver assentado firmemente contra o suporte. Ao final, é importante verificar se o chumbador foi embutido corretamente e se não ultrapassou o torque máximo.

Principais diferenças entre os chumbadores mecânicos Parabolt e Hardbolt

1. Funcionamento dos chumbadores

Na parte inferior do Parabolt, existe uma bucha que expandirá. Esse detalhe é importante, pois o concreto suporta cargas de compressão e, quando a bucha é colocada em seu interior, provocará expansão interna. Caso o chumbador esteja próximo à borda, a possibilidade que o concreto estoure em resultado da expansão interna da bucha é muito grande.

Diferentemente do Parabolt, o Hardbolt lamina a rosca no concreto, ou seja, não há o processo de expansão. Dessa forma, não apresenta risco de estourar o concreto durante a aplicação e pode ser aplicado próximo à borda do concreto sem proporcionar estouro em sua superfície. Entretanto, quando utilizado dessa forma, perde um pouco de eficiência (a tabela de cargas e distâncias está disponível no boletim técnico).

2. Após a instalação

Durante a aplicação, a haste do Parabolt vai subindo, reduzindo o embutimento desse chumbador, uma vez que a superfície de contato entre o chumbador e o concreto diminui.

Além disso, a haste geralmente fica para fora, o que pode ocasionar acidentes na obra, seja durante sua execução, seja depois de pronta. Por exemplo, o pneu de alguma empilhadeira ou de carrinhos pode furar quando passar por cima do chumbador e até mesmo machucar alguém.

Para evitar essas situações, quando parte do chumbador fica para fora, o profissional precisa cortar a ponta que está externa, tirando assim o revestimento do chumbador. Essa medida ocasiona oxidação precoce do Parabolt, diminuindo, assim, seu tempo de vida útil, resultando em menor durabilidade. Também provoca um custo a mais para a obra por causa da instalação demorada e a baixa produtividade.

Já o trabalho do Hardbolt é a favor do concreto. Durante a colocação, ele lamina a rosca no concreto, o que proporciona maior tração. Além disso, a carga é distribuída em todo o corpo roscado do parafuso, apresentando maior carga e resistência. Vale lembrar que por ele ser um sistema de peça única (apenas parafuso), há melhor acabamento após a instalação, não havendo necessidade de outros procedimentos.

3. Especificação nas bitolas

O Hardbolt possui especificação da bitola e comprimento na cabeça do parafuso, enquanto o Parabolt não. Essa especificação otimiza o controle de estoque, uma vez que proporciona maior rapidez na identificação do produto e consequente agilidade na obra.

Além disso, também facilita a execução de extensões após a conclusão da obra, pois é possível saber exatamente qual chumbador encontra-se no ponto desejado.

4. Possibilidade de retirar e reaproveitar o chumbador

O Hardbolt também oferece a possibilidade de retirar a fixação e utilizá-la em outro local — essa é mais uma exclusividade desse chumbador. No Parabolt, não é possível retirá-la.

No geral, o Hardbolt é superior pelos seguintes motivos:

  • a carga do Parabolt é pontual, por isso apresenta menor garantia de cargas que um Hardbolt;
  • a carga do Hardbolt é distribuída em todo o corpo do parafuso, proporcionando a possibilidade de redução da bitola pelo cliente, o que gera economia em broca e tempo de furação resultando em redução do custo;
  • a aplicação do Hardbolt é simples e rápida, aumentando a produtividade na obra;
  • menor risco de estourar o concreto;
  • é removível e reutilizável (até duas vezes);
  • possibilita a aplicação a distâncias reduzidas de bordas e entre chumbadores;
  • possibilita o uso das brocas padrões de mercado (métricas).

Por que comprar na Hard

A Hard foi pioneira e trouxe a tecnologia dos Hardbolts para o Brasil há cerca de dez anos. Quando a tecnologia chegou ao país, a versão era chamada de Wedge-Bolt e precisava de brocas especiais que dificultavam um pouco a aplicação.

A Hard, então, redesenhou esse chumbador e o trabalhou de forma métrica, a fim de melhorar o desenho e a eficiência do produto. Além disso, a empresa também trabalha com alguns tipos de revestimento, oferecendo ao cliente diversas opções contra a oxidação por meio dos tratamentos realizados nas peças.

A Hard também apresenta a versão inox desse chumbador mecânico, que é muito utilizado nas regiões litorâneas, evitando a corrosão. A companhia trabalha com as bitolas M-6 até M-16, oferecendo todas as possibilidades de fixação. Somado a isso, os parafusos da Hard suportam cargas muito expressivas, que vão de 500 kg até 15 toneladas.

Agora, que já conhece as características, forma de aplicação e funcionamento desses chumbadores mecânicos, cabe a você decidir qual a melhor opção para a sua obra. Entre em contato com a Hard e saiba como podemos ajudar

Posts Relacionados

Tags: , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!