Um dos principais problemas da construção civil são os atrasos nas obras. Os clientes estão ficando cada vez mais exigentes, principalmente em relação ao cumprimento do cronograma de obra.

Infelizmente, não é raro encontrar construções em que esse documento não foi realizado e, em algumas situações, foi realizado erroneamente. É preciso lembrar que uma obra sem planejamento ou mal planejada pode gerar inúmeros problemas.

O cronograma de obra deve ser utilizado em qualquer tipo de construção, seja um grande empreendimento (shopping center), seja uma pequena reforma (casas ou apartamentos).

A elaboração do cronograma é uma etapa fundamental para o sucesso de uma edificação. Os clientes poderão acompanhar o andamento das atividades tendo ciência de cada fase do projeto, entre outros benefícios.

Ficou interessado no assunto? Então, continue a leitura deste artigo e saiba como fazer um cronograma de obra de forma prática. Não perca!

O que é cronograma de obra?

O cronograma de obra é um documento elaborado por engenheiros e que deve levar em conta o prazo de duração das atividades de uma obra, bem como o seu custo. As etapas devem estar sequenciadas e divididas por semanas ou meses, dependendo da duração do empreendimento.

Ele pode ser dividido em dois: o cronograma físico e o cronograma financeiro. Primeiramente, é preciso elaborar o físico, que é onde definimos as atividades que serão executadas na obra.

Para tanto, é preciso definir, de forma macro, as principais etapas do empreendimento e, após isso, estipular os prazos necessários para finalizar cada uma das atividades. Já o cronograma financeiro é responsável pela distribuição dos custos em cada uma das etapas.

Podemos dizer que o cronograma físico é um excelente documento para dar uma visão global da obra, organizando todo o trabalho. Os processos serão mais facilmente identificados, simplificando a gestão da construção.

É válido afirmar que, após o início das atividades, o cronograma pode ser utilizado como indicador de avanço ou atraso da obra. Além disso, é possível redefini-lo de acordo com a nova realidade do projeto. A interferência de condições externas, como as condições do tempo, pode fazer essa ação necessária.

O cronograma de obra também é um documento utilizado para a mensuração do quantitativo de material necessário para cada mês, bem como dos profissionais indispensáveis para cada etapa da obra.

A ferramenta mais comum para a produção desse documento é a planilha eletrônica, contudo já existem outros recursos mais eficientes, permitindo que qualquer alteração seja imediatamente realizada, fazendo com que os colaboradores tenham sempre o documento mais atualizado possível.

Qual a importância do cronograma de obra?

O cronograma de obra é um documento que facilita a gestão de uma construção, aumentando os níveis de organização e controle de um empreendimento. Por meio dele é possível definir o caminho crítico da construção, estabelecendo uma ordem de prioridade e controlando o custo total do projeto.

É preciso lembrar que podemos ter, pelo menos, dois mil itens diferentes em termos de materiais e, obviamente, não é possível deixar tudo na memória. O cronograma de obra pode ser utilizado para identificar a necessidade de cada um desses itens.

Assim, é possível garantir que todos os materiais estarão no canteiro de obras no momento exato. Todo o processo de negociação também será beneficiado, pois os compradores terão tempo e informações suficientes para buscar o melhor preço do mercado.

Existem outros benefícios de se contar com um cronograma de obra bem executado, como:

  • melhor controle dos prazos;
  • redução de custos;
  • identificação de gargalos;
  • definição de prioridade;
  • controle de riscos;
  • entrega do empreendimento no prazo estipulado.

Como elaborar um cronograma de obra?

Como já destacado, um cronograma de obra é fundamental para o cumprimento de prazos, controle financeiro, programação das compras e completo gerenciamento de todo o empreendimento. A grande dúvida que fica é como elaborá-lo.

Existem algumas etapas que devem ser seguidas para conseguir produzir um cronograma ideal para qualquer tipo de empreendimento. Para tanto, será preciso definir as atividades, determinar as datas, sequenciar as atividades, executar o planejamento, controlar o cronograma e avaliar os resultados.

Definir as atividades

A primeira etapa para elaborar um cronograma de obra é definir quais atividades serão executadas. A maneira mais fácil de realizar essa definição se dá por meio de uma EAP (estrutura analítica do projeto).

Essa estrutura nada mais é que a listagem de todas as atividades necessárias para a entrega do projeto finalizado. Quando falamos em atividades, devemos pensar em pacotes de trabalho que utilizam os mesmos materiais e profissionais.

Outra forma utilizada para a definição das atividades se dá pelo resumo das etapas, criando etapas como “fundações”, “acabamentos”, entre outras. No caso de “fundações”, podemos subdividir em “perfuração de estacas”, “armação de estacas” e “concretagem”, por exemplo.

A maneira mais fácil para definir quais atividades devem ser realizadas se dá por meio de uma análise do escopo do contrato e do orçamento da obra. A partir daí, será possível realizar a decomposição de alguns itens, definindo as atividades a serem realizadas.

Determinar as datas

Para determinar as datas, é preciso estimar o tempo necessário para a conclusão de cada uma das atividades previamente definidas. Esse processo é fundamental para a elaboração de um cronograma de obra ideal.

Imagine, por exemplo, que o projeto tenha duração de 50 meses e o cronograma de obras foi definido em 48 meses. Então, podemos voltar e rever cada item, atingindo um tempo mais preciso.

A determinação das datas pode ser feita por meio da experiência dos profissionais e outras práticas, como:

  • estimativas análogas;
  • estimativas paramétricas;
  • opinião especializada.

As estimativas análogas são atividades que serão executadas em seu empreendimento, mas que já foram executadas em outras obras. Então, é possível utilizar o prazo e as interferências desse projeto similar em sua obra.

As estimativas paramétricas são aquelas em que a quantidade de determinado serviço não é a mesma quando se analisa uma obra semelhante. Imagine, por exemplo, que em uma obra foram assentados 200 m² de piso em oito dias. Caso a sua nova obra tenha uma área de piso de 100 m², essa atividade deve ser finalizada em quatro dias.

A opinião especializada nada mais é que a realização de consultas com engenheiros e outros profissionais da área, buscando usar a experiência deles para estipular prazos mais precisos para itens específicos, como fundações e parte elétrica.

Sequenciar as atividades

Após listar as atividades e determinar o prazo de execução de cada uma delas, é preciso sequenciá-las, ou seja, definir qual a sua ordem de execução.

Nessa etapa será necessário estipular ordens de dependência, pois algumas atividades somente poderão ser iniciadas após a conclusão integral de outras. Um bom exemplo são as alvenarias, que só podem ser iniciadas quando há a desforma da estrutura do edifício.

Podemos afirmar que, nessa etapa, definimos quais atividades são predecessoras e quais são sucessoras, criando, inclusive, o caminho crítico do projeto. Contudo, é importantíssimo prestar atenção à sobreposição de atividades.

Executar o planejamento

A execução do planejamento nada mais é que a execução da obra. Não podemos esquecer de contar com uma cópia do cronograma de obra no canteiro, acompanhando o seu desenvolvimento. Cada funcionário envolvido no processo também deve conhecer esse documento.

Controlar o cronograma

É preciso lembrar que o cronograma pode sofrer algumas alterações, ocasionadas por situações externas, imprevistos, ações do tempo, entre outras razões.

Sendo assim, podemos afirmar que a elaboração de um cronograma de obra não finaliza após o sequenciamento das atividades. O cronograma deve ser revisado periodicamente, sendo uma atividade constante durante a execução do empreendimento.

Avaliar os resultados

Muitas pessoas acreditam que os resultados só podem ser avaliados ao findar o projeto, mas na prática não é bem assim. É preciso analisar o andamento de cada uma das etapas da obra.

O ideal é contar com um profissional exclusivo para essa etapa, fiscalizando a execução e utilizando uma checklist de controle. Os levantamentos e acompanhamentos devem ser realizados diariamente.

Assim, será possível verificar se o empreendimento está adiantado ou atrasado, além de identificar se o projeto está dentro dos custos previstos. Em outras palavras, é fundamental comparar o que está sendo realizado no projeto e o que foi previsto no cronograma de obra.

E aí, gostou das informações que destacamos sobre o cronograma de obra? Ficou interessado? Então, assine a nossa newsletter e fique por dentro dos nossos conteúdos.

Escreva um comentário