Dicas EPI na construção civil: descubra 7 equipamentos fundamentais
Autor: HARD COMÉRCIO DE FIXADORES E RESINAS

Segundo estatísticas fornecidas pela Previdência Social, a construção civil é o segundo setor com maior número de acidentes no Brasil. Entre os mais comuns estão quedas em altura, quedas de materiais, lacerações, cortes, exposição a ruídos elevados, picadas de bichos peçonhentos e insetos, choque elétrico, alergias e dermatites. Para mudar essa situação, o uso de EPI na construção civil é obrigatório.

Além de fornecer os EPIs, as empresas precisam treinar a mão de obra para que eles sejam usados corretamente. O empregador também deve cobrar o uso apropriado diariamente, em todas as tarefas nas quais os EPIs são necessários.

Quer saber quais são os principais EPIs e suas respectivas utilidades? Continue a leitura e confira!

Os tipos de equipamentos de proteção nas obras

Basicamente, existem equipamentos de proteção individuais (EPIs) e coletivos (EPCs). Ambos são imprescindíveis para a saúde e a segurança dos colaboradores durante a execução dos serviços. É obrigação dos empregadores fornecê-los sempre que necessário, mas é responsabilidade de cada usuário conservá-los adequadamente.

Junto ao fornecimento dos EPIs e dos EPCs, é essencial que os trabalhadores sejam orientados quanto à forma de uso correta. Os EPCs, como escadas, rampas, andaimes e elevadores de obra são regulamentados pela NR 18.

Já os EPIs são regulamentados pela NR 6 — alguns exemplos são capacetes de segurança, cinto de segurança, protetores auditivos, óculos de proteção, máscaras, calçados de proteção e os diferentes tipos de luvas.

A importância do EPI na construção civil

Os EPIs são exigidos por meio de norma, pois promovem a saúde e a segurança dos trabalhadores, reduzindo consideravelmente o número de acidentes e de mortes.

Por si só, isso já é um excelente benefício. Além disso, a ausência de acidentes resulta em economia para os construtores, da mesma maneira que evita o atraso nas obras e proporciona maior retenção da mão de obra, na medida em que os trabalhadores se sentem mais seguros no local de trabalho.

Desta forma, a utilização destes equipamentos de proteção além de permitir a execução do trabalho de forma segura e sem acidentes, elimina eventuais pagamentos de indenização por acidentes de trabalho, além de proteger a vida.

Os 7 principais EPIs para utilizar em obras

1. Capacete de segurança

Esse é um equipamento imprescindível para todos que trabalham ou transitam em uma obra, mesmo que por um curto período de tempo. Os capacetes protegem contra choques e impactos resultantes de quedas de materiais e ferramentas — além de provocar graves lesões, eles podem resultar em óbito.

2. Protetores auditivos tipo concha e plug

Na construção civil, existem muitas máquinas e equipamentos que geram excesso de ruído, provocando muitos problemas de audição — sendo esses, muitas vezes, irreversíveis. Para evitar essa situação, todo trabalhador que é exposto a ruídos deve utilizar protetores auriculares, a fim de reduzir as chances de lesões auditivas.

3. Óculos de proteção

A visão é de extrema importância para qualquer pessoa, por isso os óculos de proteção são essenciais para os trabalhadores que manejam vidro, solda, madeira, produtos químicos, aço, argamassas ou qualquer outro material ou produto que possa causar danos aos olhos.

4. Máscaras para poeira e produtos químicos

Praticamente todas as obras contam com a etapa de preparação de argamassa. Durante esse serviço, o pó do cimento e das argamassas pode ser inalado pelo profissional e provocar graves danos à saúde. Além disso, no canteiro de obras, é muito comum conviver com poeira e outros resíduos. Para reduzir e, até mesmo, evitar esses danos, é imprescindível o uso da máscara.

5. Cinto de segurança

Esse é um equipamento de uso obrigatório para todos os trabalhadores que realizam trabalho em altura. É indispensável para todas as alturas superiores a dois metros, mesmo quando os equipamentos de proteção coletiva, como andaimes, já são utilizados.

6. Calçados de segurança

Também conhecidos como botinas, os calçados de segurança são responsáveis por proteger os pés dos colaboradores de diversos perigos externos, como impacto resultante de quedas, perfuração ao pisar em pregos, pedaços de vergalhão e demais objetos cortantes, queda ocasionada por piso escorregadio, entre outros. Os calçados também auxiliam na proteção de picadas de insetos e de animais peçonhentos.

7. Luvas de proteção

Em relação às luvas, existem diversos tipos. As de alta-tensão, que são fabricadas com composto de borracha, oferecem proteção contra choques elétricos e queimaduras graves por ter capacidade de isolamento que vai de 500 a 40 mil volts. Existem também as de Neoprene, que oferecem elevada resistência mecânica e a diversos produtos químicos, além de serem antiderrapantes e maleáveis.

Por sua vez, as luvas de PVC oferecem resistência contra cortes, produtos químicos e abrasão — porém em menor escala. São muito utilizadas ao manusear materiais corrosivos, ácidos, óleos e graxas. As luvas de vaqueta, também conhecidas como de raspa, são muito usadas para manuseio de materiais agressivos e serviços pesados.

Já as luvas nitrílicas são luvas de borracha natural que também são bastante empregadas na construção civil por apresentarem resistência mecânica a perfurações, cortes e abrasão. Além disso, também são resistentes a produtos químicos.

A segurança nas obras

É importante que toda empresa de construção civil e engenharia tenha um programa ou metodologia de segurança no trabalho, estabelecendo diretrizes que visem atender as exigências, garantindo a segurança de todos os envolvidos.

Para que isso seja alcançado com eficácia, deve-se elaborar uma rotina de segurança. Isso inclui manter a organização do canteiro de obras, atender a todas as normas regulamentadoras, criar uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), treinar os colaboradores para realizar suas tarefas de forma segura, fiscalizar e inspecionar o uso dos EPIs e fazer o Diálogo Diário de Segurança (DDS).

Além disso, não se esqueça da NR 18, que estabelece as Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção, indicando medidas de proteção e segurança para todos os colaboradores presentes no canteiro de obras.

A quantidade de medidas empregadas em um canteiro de obra dependerá do tamanho do empreendimento em questão e do número de colaboradores, sendo dispensadas diversas rotinas de segurança quando a obra é de pequeno porte. Entretanto, em nenhum caso os EPIs são dispensados, pois são essenciais para a segurança dos trabalhadores durante a execução de qualquer serviço.

Por isso, o EPI na construção civil é crucial, na medida em que promove maior segurança e saúde para os trabalhadores, assim como para a empresa que evitará acidentes. Para não faltar nenhum EPI, é interessante consultar os manuais e boletins técnicos elaborados pelos fornecedores em cada etapa da obra, uma vez que neles são informados todos os equipamentos que são necessários para cada atividade ou procedimento.

Vale lembrar que os acidentes só são evitados quando os EPIs são usados corretamente, por isso é imprescindível que os trabalhadores sejam conscientizados sobre a necessidade do seu uso e aprendam a utilizá-los e mantê-los de forma apropriada.

Gostou de conhecer mais sobre EPI na construção civil? Aproveite que está por aqui e assine nossa newsletter! Assim você sempre ficará por dentro das novidades!

2 Comentários

  1. gilberto disse:

    Muito bom, segurança é tudo…parabéns pelo texto!!!

Deixe o seu comentário!