Problemas Veja os 7 principais riscos na construção civil e saiba como evitá-los
Autor: HARD COMÉRCIO DE FIXADORES E RESINAS

A construção civil é uma das líderes em acidentes de trabalho no Brasil. A maioria desses casos acontece em decorrência de situações comuns no canteiro de obras, como a falta de treinamentos e a não utilização dos equipamentos de proteção individual (EPI). Esse tipo de negligência aumenta as chances de riscos como choques elétricos, quedas de altura, queda de materiais e outros acidentes — que em alguns casos podem até ser fatais.

Nesse cenário, a gestão de riscos na construção civil é um assunto que tem ganhado cada vez mais atenção. Esse processo consiste em buscar a redução ou a erradicação de situações que causam os riscos mais comuns, por meio do cumprimento das prescrições e medidas indicadas nas normas reguladoras, também conhecidas como NRs.

Quer conhecer quais os principais riscos na construção civil, as NRs relacionadas a eles e as principais medidas de segurança? Então continue a leitura!

Quais os principais riscos na construção civil?

1. Quedas de nível

Muitas atividades desempenhadas na construção civil demandam a realização de atividades em altura — e essa é uma das grandes causas de acidentes e mortes. Seja em um andaime, em outros equipamentos ou executando atividades nos pavimentos superiores, todos os colaboradores devem ter EPIs apropriados e devem estar treinados para trabalhos em altura — conforme especificado na NR-35.

2. Choques elétricos

A maioria das obras envolve trabalhos com eletricidade. Os fios podem ficar expostos e causar choques, seja pelo contato direto com os trabalhadores, seja pelo contato com a água. A NR-10 visa regulamentar atividades que envolvem eletricidade, indicando as medidas de segurança necessárias e os equipamentos próprios para serviços que envolvem energia elétrica.

3. Uso de máquinas e ferramentas sem proteção apropriada

Existem diversas máquinas e ferramentas em obras — como as serras circulares, as britadeiras, furadeiras, martelos etc. Quando manuseadas de forma incorreta e sem treinamento, muitos acidentes e até mesmo fatalidades podem acontecer.

Para evitar qualquer tipo de incidente, o colaborador deve ser treinado e receber os EPIs necessários, conforme especificado na NR-12 que trata da prevenção de acidentes com máquinas e equipamentos.

4. Queda de materiais

Em um canteiro de obras é comum ter gruas, elevadores de carga, guindastes, andaimes e outros equipamentos. Muitos desses, constantemente, estão carregados de materiais, ferramentas e acessórios, o que pode causar queda de materiais.

Mesmo um material leve, quando cai de uma altura elevada e com alta velocidade, gera um alto impacto e pode causar sérios acidentes. Portanto, o uso do capacete é obrigatório dentro de um canteiro de obras e pode salvar vidas.

5. Problemas respiratórios, alergias e dermatoses

Outra atividade rotineira em obras é a preparação de argamassas e concreto, que é o componente principal do cimento. O cimento é um pó fino que é facilmente inalado e pode provocar graves problemas respiratórios.

Já o contato direto da pele com os diversos tipos de argamassas, tintas, solventes, ácidos e demais materiais utilizados em obras, muitas vezes provoca alergias, dermatites e até queimaduras. Para evitar esses problemas, é importante usar a máscara e os óculos de proteção, calças apropriadas, camisas e luvas específicas.

6. Perda auditiva

São muitas as máquinas e equipamentos presentes em uma obra. Muitas vezes, eles são usados diretamente por algum trabalhador durante muitas horas seguidas. Em alguns casos, isso pode causar a perda de audição por ruída excessivo.

Esse problema não tem cura e é resultado da exposição contínua a:

  • níveis elevados de pressão sonora;
  • metais como chumbo, arsênio, manganês, cobalto e mercúrio;
  • gases asfixiantes como nitrato de butila, monóxido de carbono e cianeto;
  • solvente orgânicos como xileno, tuleno, dissulfeto de carbono, estireno, n-hexano, tricloroetileno e butanol.

Portanto, para evitar as lesões auditivas, deve-se utilizar os protetores auditivos tipo concha ou plug — dependendo do tipo de exposição sofrida pelo trabalhador.

7. Contato ou exposição a corpos estranhos

É comum encontrar aranhas, escorpiões, abelhas, vespas, formigas, cobras, entre outros animais que podem colocar os trabalhadores em risco. Por isso, é imprescindível analisar o ambiente, verificando se há presença de algum desses animais, fornecer e cobrar a utilização dos EPIs que ajudarão na proteção contra contato e picadas.

Como os riscos são classificados?

A classificação dos riscos é feita em cinco grupos. Cada um segue uma cor padrão em todas as empresas, para facilitar sua identificação.

  • Grupo 1 (verde) — Riscos físicos: umidade, ruídos, temperatura e pressão, aos quais os trabalhadores ficarão expostos.
  • Grupo 2 (vermelho) — Riscos químicos: poeiras, vapores e demais agentes que possam ser inalados pelos trabalhadores.
  • Grupo 3 (marrom) — Riscos biológicos: bactérias, parasitas e fungos, que possam entrar em contato com os trabalhadores.
  • Grupo 4 (amarelo) — Riscos ergonômicos: relacionam-se às situações como atividades repetitivas, alturas de uso dos equipamentos inapropriada, monotonia, entre outras, que podem afetar a saúde do trabalhador e causar desconforto.
  • Grupo 5 (azul) — Riscos de acidentes: relacionam-se às máquinas e equipamentos sem a proteção devida, que pode afetar a integridade física dos trabalhadores.

Como evitar esses riscos em uma obra?

Primeiramente, é essencial identificar quais são os perigos presentes no canteiro de obras, quais são as atividades previstas, os materiais a serem utilizados, além das máquinas e ferramentas e equipamentos que serão necessários.

Dessa forma, será possível adotar as medidas contidas nas NRs e estabelecer os controles internos. A seguir, listamos algumas medidas essenciais para reduzir todos os riscos.

Realizar treinamentos

Muitos acidentes são resultantes da falta de conhecimento e treinamento. Um profissional que trabalhará com altura ou eletricidade e é treinado, sabe os cuidados necessários e o que fazer diante de problemas. Os treinamentos são comprovadamente uma forma eficiente de reduzir e até de evitar acidentes no canteiro de obras.

Sinalizar o risco do ambiente

A sinalização de risco nos ambientes é especificada nas NRs e é muito importante para que a segurança no local de trabalho seja alcançada. As sinalizações informam os agentes de risco e quais os locais que demandam maior atenção, indicando os riscos ali presentes. Além disso, também informam medidas de segurança estabelecidas para o risco em questão.

Uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI)

Ao longo de todos os riscos foram citados diversos EPIs que devem ser utilizados para evitar acidentes. Não basta apenas fornecer, é necessário estabelecer normas e procedimentos internos quanto ao uso e cuidado dos EPIs, seguindo sempre a NR 6.

Seguir as Normas Regulamentadoras (NRs)

As NRs apresentam os procedimentos que devem ser seguidos a fim de evitar os riscos citados. Para cada risco, geralmente, existe uma NR que propõe medidas que devem ser realizadas, como treinamentos e uso de EPIs, entre outras.

A identificação dos riscos na construção civil é uma etapa muito importante, porém monitorá-los também é essencial. Deve-se sempre atualizar a lista e verificar os possíveis erros e as melhorias que são necessárias, a fim de evitar acidentes e demais situações que podem colocar em risco a vida dos trabalhadores. Não se esqueça: criar uma cultura de segurança é imprescindível para o sucesso de qualquer empresa.

Se você gostou do post e quer receber outras dicas sobre construção civil, assine nossa newsletter!

Posts Relacionados

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!